2016 foi um ano muito bom, tive experiências incríveis, conheci pessoas inesquecíveis na minha vida, aprendi um monte sobre mim, foi um ano muito positivo pessoalmente.

De forma geral foi um ano estranho isso falando sobre política e crises econômicas, nacionais e mundiais. Muitas coisas absurdas acontecendo em todas as esferas e nós ainda sem saber muito bem como agir ou o que esperar e isso é algo que incomoda muito.

Eu nunca acreditei em mudanças coletivas, toda a minha esperança se concentra nas mudanças individuais, as pequenas coisas, o despertar da consciência individual, a auto crítica e a predisposição pra ver a vida mais pra boa do que pra ruim.

Esse foi mais um ano especial pra rever crenças pessoais, pra encontrar erros que se repetem, foi mais um ano pessoal do que profissional com certeza.

Eu termino esse ano com uma reflexão interessante sobre estabilidade, um tema sempre delicado pra mim.

Como a maior parte das pessoas sempre sonhei com estabilidade, pra mim é a fórmula da felicidade. Senão da felicidade da paz de espírito com certeza (eu peco pela praticidade)  trabalho estável, renda estável, relacionamento estável, saúde estável. Basicamente os grandes problemas estariam todos resolvidos e o tempo que sobrasse seria para criar novas oportunidades. O que na prática, observando as pessoas com todos ou alguns dos requisitos acima, vira tempo para criar novos problemas, porque nós adoramos ter problemas para nos mover. Quando não temos inventamos!

Apostei a vida toda minhas fichas na estabilidade externa, naquela que  vem dos outros, do chefe, do mercado, do companheiro, achava que essa seria a melhor forma de organizar a vida, a forma mais correta e bem, nessa altura do campeonato, já percebi que essa é a pior estabilidade para contar. Por não depender de você, não existe o mesmo comprometimento.

Óbvio que sei que não dá pra controlar tudo, mas quando você é o responsável a certeza de conseguir se torna maior.

Percebi que a melhor estabilidade e talvez a única que exista, é aquela que vem de você, é a sua capacidade de ser resiliente, de pensar de forma otimista, de ser amável, de enxergar seus valores e potências, de ter um compromisso com você mesmo e cumprir.

Estabilidade não é ser bem empregado ou ter um bom salário, vi pessoas durante o ano perderem uma vida considerada estável por uns 20 anos com o desemprego, relacionamento estável não existe a longo prazo, todos precisam se adaptar a vida com e sem alguém. Tudo o que te resta é você, é daí que vem a verdadeira estabilidade. Mercados mudam, empresas vão a falência, casamentos sólidos acabam, planos de aposentadoria mudam, tudo muda muito rápido e sem pedir autorização, muitas vezes sem nem dar um aviso antecipado. E você vai ter que se readaptar a vida, aí entra a importância de ser estável.

Apesar de terminar o ano com uma configuração diferente da que comecei me sinto muito mais estável, porque vejo em mim a solução pros problemas ou a capacidade de encontrá-las e como eu me pertenço, isso não vai mudar.

Daqui uns dias atinjo a marca dos 40 anos, acho que a maturidade vem chegando e a vida vai tendo um brilho diferente e confiar em você mesmo é o melhor negócio possível 🙂

Beijocas da Fabi

 

 

 

Pin It on Pinterest

Share This

Assine a newsletter e fique por dentro de lançamentos e promoções especiais para assinantes.

Junte-se a gente!

Você está inscrito e prometo só enviar coisas legais! :-)